Carta do Presidente

Todo cuidado é pouco

Nos últimos anos, nos orientamos por uma visão integral sobre os primeiros anos de vida da criança

“Um barulhinho atrás de si fez com que se virasse bem a tempo de apanhar o menino pelo cós da calça e interromper a sua fuga.

– Quieto aí! Estava na despensa, não é? E fazendo o quê?

– Nada.

– Nada! Veja só essas mãos e essa boca. O que é isso aí?

– Sei não, tia.

– Mas eu sei, viu? É geleia, isso sim. Eu já lhe disse mais de 20 vezes para não mexer na geleia, ou lhe arranco o couro. Me dê essa vara.

A vara começou a erguer-se. Perigo no ar.

– Nossa! Tia, olhe aí atrás!

– A velha senhora deu meia-volta, enquanto o menino escapulia.

... Menino danado, esse. Será que eu não aprendo nunca?”


As Aventuras de Tom Sawyer
– Mark Twain – Página 20 – Editora Ática – 1995

Tom Sawyer e Huckleberry Finn, de Mark Twain, são dois personagens que, por vários motivos, sempre permaneceram em minha mente. Por muitos anos, me inspiraram a ler mais e “viajar” por terras (ou águas) que na vida real não poderia frequentar, mas que na “viagem” imaginária era só deixar a leitura me levar. Dar a todas as crianças a oportunidade de ler e crescer, com saúde, em uma família que apoie o seu desenvolvimento, é um dever moral da sociedade. É por isso que a Primeira Infância (PI) é o foco de atuação da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal (FMCSV) e deve vir primeiro quando pensamos no futuro das nossas cidades, estados e país.

Em 2012, reservamos um tempo para olhar para dentro da FMCSV, para arrumar a casa e absorver o crescimento da organização e da equipe. Nesse processo, definimos três eixos estratégicos que permitem um entendimento mais claro do que fazemos: o eixo da articulação, o da gestão do conhecimento e o das práticas. Ao longo deste relatório, há vários exemplos práticos da orientação em torno dos três eixos.

Voltando aos meus queridos personagens, Tom e Huck, eles também servem como homenagem a um de nossos novos parceiros em 2012, o Todos pela Educação (TPE). A parceria é uma das atividades ligadas ao eixo da articulação e busca chamar mais a atenção da sociedade para a importância da Educação Infantil. Até 2012, o TPE só atuava no campo da Educação Fundamental, ou seja, das crianças acima de 6 anos. Porém, diversos estudos* comprovaram a influência que uma creche e uma pré-escola de qualidade têm sobre a formação da criança, assim como o inverso, ou seja, como uma creche ou pré-escola de baixa qualidade pode ser uma grande “amarra” para o desenvolvimento infantil. Como podemos deixar que a fase mais importante da formação de um ser humano seja a menos valorizada?

Dentro do Núcleo Ciência pela Infância (NCPI), que é a nossa parceria com universidades brasileiras e estrangeiras (USP, Insper e Harvard), tivemos a oportunidade de reunir 45 brasileiros, entre deputados, especialistas e representantes de ONGs, para o Programa de Liderança Executiva em Desenvolvimento da Primeira Infância, realizado nos EUA e no Brasil. Esse encontro/capacitação gerou planos de ação e fortaleceu a articulação entre líderes estratégicos com poder de tomada de decisão em ações e políticas públicas em favor da PI. Sementes foram plantadas, e não temos dúvidas de que bons frutos serão colhidos em 2013.

O Programa Primeiríssima Infância encerrou um ciclo importante. Os primeiros municípios que, em 2009, encontraram na parceria da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal uma alternativa eficiente para melhorar seus indicadores relacionados à Primeira Infância alçaram voo-solo e mantiveram a PI como estratégia de governo, mesmo após as eleições municipais. Até 2012, 40 mil crianças já tinham, de alguma forma, se beneficiado com o projeto no estado de São Paulo. Em 2013 queremos beneficiar ainda mais famílias e crianças em todo o estado.

Para encerrar em grande estilo, impossível deixar de mencionar a importância de Regina Vidigal Guarita. Desde 2005 como presidente do Conselho de Curadores, e sempre em parceria, trabalhou muito para construir as bases da nova FMCSV, fruto do que seus pais iniciaram em 1965. Em 2012, a transição da liderança para a terceira geração da família foi construída e implementada, com persistência e, antes de mais nada, paciência. Certamente, sua missão está cumprida, com a nova gestão, a partir de agosto de 2012, de Guilherme Vidigal Gonçalves como presidente do conselho. Mas a nossa continua. Com inspiração e profissionalismo, e sempre colocando a Primeira Infância no coração da nossa atividade. Os pequenos merecem!

Eduardo de C. Queiroz
Diretor Presidente